quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Peixe-boi, poema de Jeffrey Yang

Peixe-boi
Jeffrey Yang (n. 1974, EUA)
Trad. Diego Callazans

Peixe-boi, em galibi manati,
mamífero, santuário olmeca,
a dor duma garota guianense
tornou-a vaca-marinha (que terrores
lançados nas vacas! pra ver surgir vaca
louca), a mais gentil das criaturas, sereias de
Colombo, a mais pacífica cidade da Colômbia.
Peixe-boi, o mais feliz de todos os
vegetarianos; a pele serve de lar
a algas e cracas; mães que cuidam da
cria por dois anos; inimitável sistema
imunológico; cérebro com mais matéria
cinzenta que o dos humanos, homo
sapiens único predador em toda a natureza,
não obstante os saúdam com largo abraço.
Ó Grandes Ancestrais! Ensinem como
podemos amar assim o inimigo.



Poema original e mais sobre o autor: http://www.lyrikline.org/pt/poemas/manatee-10768

Nenhum comentário:

Postar um comentário